Série os Animais da Bíblia Aula 6 O almoço das ursas

Aula 6 Série os Bichos da Bíblia - O almoço das ursas

Base bíblica: II Reis 2

Versículo chave: “...Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas’ Atos 10:34





Clique em Leia Mais pra continuar >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>




Louvor Sugerido:






Hora da história:

Quantos de vocês já viram a gravura de um urso? Os ursos são animais enormes. Eles tanto podem andar nas quatro patas, como podem andar em apenas duas. Quando um urso está em pé, nas duas patas, pode ser bem maior do que um homem.
Normalmente os ursos não atacam as pessoas, somente se eles se sentirem ameaçados, mas não podemos dizer que eles são amigos do homem, pois eles são animais ferozes. Os ursos se alimentam de plantas, de mel e de carne.
Vocês sabiam que a Bíblia conta uma história muito triste sobre duas ursas?
Tudo começou quando Eliseu ainda era auxiliar do famoso profeta Elias. Um dia, Elias chamou Eliseu e disse-lhe que ficasse em casa, enquanto ele iria a uma outra cidade. Mas Eliseu não quis ficar sozinho e acompanhou Elias até à cidade. Lá chegando, Elias disse-lhe que esperasse ali, enquanto ele iria para outra cidade.
Mas Eliseu novamente acompanhou Elias. Então o profeta saiu da cidade e enquanto iam andando, subitamente, uma carruagem brilhante como o fogo passou por eles e levou Elias para o céu.
Agora Eliseu ficou sozinho. Tomou a capa de Elias que caíra, enquanto esse subia, e voltou para casa. A todos os que perguntavam por Elias, Eliseu lhes contava o que havia acontecido.
Entretanto, um dia, enquanto Eliseu estava viajando por uma estrada, encontrou-se com um grupo de rapazes e meninos adolescentes.
Quando eles viram Eliseu passando, começaram a rir do profeta e a zombar dele e de sua história. Eliseu era careca, e os rapazes começaram a dizer: “sobe, careca, sobe.”
Que coisa feia estavam fazendo aqueles meninos! Eles estavam duvidando da palavra de Eliseu, o profeta de Deus, dizendo que não acreditavam que Elias tivesse ido para o céu. E mais, zombavam chamando o pastor Eliseu de “careca”.
Deus Se entristece quando somos irreverentes, quando zombamos das coisas sagradas. Não podemos zombar da Bíblia, nem correr, falar ou brincar dentro da igreja.
Deus também não se agrada quando zombamos das pessoas mais velhas do que nós. E, muito menos quando zombamos, criticamos ou falamos mal do pastor.
Ao serem irreverentes e mal educados, Deus se afastou daquele lugar onde estavam os rapazes e, sem a proteção divina, apareceram duas ursas por trás das árvores, as quais obedecendo a Deus castigaram aqueles 42 jovens desobedientes e zombadores.
Não vale a pena ser irreverente. Não vale a pena zombar. Quando agimos como aqueles rapazes, perdemos e proteção e o cuidado de Deus.
Vamos orar pedindo a Jesus que nos faça sempre reverentes na igreja e nas coisas de Deus e que sejamos respeitosos para com as pessoas adultas e também com nossos companheiros.

fonte: advir.com/historiasbiblicas             

Hora da atividade:





Hora de brincar:

Dinâmica do Urso de Pelúcia
Objetivo: mostrar que o outro é importante pra nossa vida
Material: um urso de pelúcia
Procedimento: Forme um círculo com todos e passe o urso de mão em mão, quem estiver com o urso deverá falar o que tem vontade de fazer com ele. No final que todos falarem deve-se pedir para que façam o mesmo que fizeram com o urso com a pessoa do lado. 
EXERCÍCIO DAS QUALIDADES
A. Objetivos Dar-se conta das qualidades positivas existentes no grupo; Perceber as qualidades do outro e expressá-las; Avaliar qualidades pessoais.
B. Recursos necessários
Tiras de papel;
Lápis ou caneta esferográfica.

C. Procedimentos
1. Grupo em círculo, sentados;
2. Distribuir para cada participante duas tiras de papel em branco. Solicitar que pensem no vizinho da direita e da esquerda, procurando a qualidades positiva que lhe chama a atenção em cada um deles;
3. Escrever as qualidades, uma em cada tira. Não identificar. Dobrar;
4. O facilitador recolhe todos os papéis, embaralha e redistribui (dois papéis para cada participante);
5. Solicitar que cada um assuma os papéis recebidos como se tivessem sido escritos por si, procurando no grupo quem possui as qualidades neles expressos;
6. Pedir que cada participante leia alto as qualidades que tem nas mãos, dando-as à pessoa que julga possuí-las e justificando o motivo de sua escolha;
7. Pedir que cada um comente as qualidades recebidas;
8. Solicitar que cada pessoa, em ordem no círculo, diga as qualidades ue escreveu inicialmente para os seus vizinhos;
9. Em plenário, compartilhar com o grupo o que mais lhe chamou a atenção na atividade.


Sugestão de lembrancinha:



0