"Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria." Salmo 126.5


Amigos e Amigas PARA SEGUIR O BLOG BASTA APENAS TER UMA CONTA DO EMAIL.EX:Gmail, hotmail, yahoo ...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Quadro de pregas

O q vc acha? 
Quadro de pregas




Embora este tipo de quadro constitua um auxiliar extraordinário no ensino, sendo de grande facilidade de confecção e de custo bastante reduzido, a verdade é que é praticamente desconhecido nas nossas escolas. Que nos lembremos, nunca o encontrámos em nenhuma escola por onde passámos e, quando falamos dele, em acções de formação, notamos uma reacção de estranheza e ao mesmo tempo de curiosidade por parte de quem nos ouve. E o seu desconhecimento é tanto mais lamentável, se nos lembrarmos da maneira rápida e fácil de criação de material didáctico, para o qual quase não é necessário despender dinheiro. Bastará possuir algumas folhas de papel branco ou de cor e canetas de feltro, de preferência de espessura média ou grossa, para criarmos o material necessário para as nossas aulas.



Em que consiste, então, o quadro de pregas e como construí-lo? Tal como se pode deduzir pelo nome, o quadro de pregas consiste numa superfície rectangular, nas medidas que pretendermos e acharmos melhor, feita de tecido ou de papel forte, disposto em pregas regulares e fixado por um aro rectangular de madeira. Se pretendermos, por exemplo, elaborar um quadro rectangular deste tipo com as dimensões de 120 cm de largura por 90 cm de altura e com pregas de dois em dois centímetros com dois centímetros de profundidade, necessitaremos de tecido ou, preferentemente, de papel forte, por exemplo, papel de cenário branco ou creme, com as dimensões de 120 cm de largura por 216 cm de altura, e de oito réguas de madeira, cortadas nas dimensões pretendidas, com 2 cm de largura e 0,5 cm de espessura, e pregos finos com 9 mm de comprimento. Eventualmente, poderemos também utilizar cola para ajudar a montar o quadro, embora não seja indispensável.




Figura 1: Quadro de pregas. Primeira fase da sua construção.





A primeira etapa na sua confecção (ilustrada pela figura 1) consiste em marcar com uma régua, de maneira rigorosa, as zonas de dobragem, de modo a obterem-se pregas rigorosamente paralelas e uniformes, de acordo com as medidas indicadas: 4 cm + 2 cm., sucessivamente.











Figura 2: Quadro de pregas. Segunda fase da construção: dobragem das pregas.





A segunda etapa (ilustrada pela figura 2) consiste em vincar e dobrar uniformemente toda a superfície, de maneira a obter-se um quadro semelhante a uma saia de pregas, cuja dimensão final acabará por ficar nas medidas pretendidas para o quadro, ou seja, 120 x 90 cm.






Figura 3: Quadro de pregas. Aspecto final, com um cartão nele exposto.





A terceira e última etapa consistirá em fixar a superfície obtida numa moldura dupla de madeira, nas dimensões do quadro, constituída por réguas de madeira com 2 cm de largura por 0,5 cm de espessura, de maneira que as pregas fiquem seguras nas extremidades, presas entre as réguas de madeira e com toda a superfície devidamente esticada. Se quisermos tornar o quadro mais resistente aos eventuais acidentes de utilização, mas também ligeiramente mais pesado, poderemos reforçar a parte posterior com uma prancha de cartolina grossa ou uma placa fina de contraplacado. Mas para aumento da sua resistência, será mais que suficiente revestir a parte posterior com uma cobertura de plástico auto-adesivo. De certeza que, deste modo, sem aumento substancial de peso de toda a estrutura, se obterá um quadro suficientemente resistente, capaz de aguentar muitos anos de útil serviço.





Obtido o quadro de pregas, bastará colocá-lo onde pretendermos, suspenso de um prego ou sobre um cavalete, nada mais lhe faltando do que o «software» adequado, ou seja, o material de apoio audiovisual usado no quadro, que iremos construindo à medida das nossas necessidades.



Como é que é feito o suporte da informação, de que modo é utilizado no quadro de pregas e quais os inconvenientes deste meio audiovisual?



Até à presente data, nunca conseguimos apontar-lhe quaisquer inconvenientes. Antes, pelo contrário, a facilidade de elaboração de material didáctico, o seu baixo custo e a facilidade de transporte do quadro para qualquer sala, tornam-no um excelente meio de ensino para qualquer disciplina.





O material didáctico poderá ser construído em tiras de papel branco ou de cor, de preferência papel cavalinho ou cartolina fina. É colocado no quadro inserindo-se o material criado numa das pregas. Há apenas que ter o cuidado de escrever ou fazer os desenhos, esboços, gráficos, o que quer que seja, dois centímetros acima do bordo inferior, uma vez que estes dois centímetros ficarão encobertos dentro da prega do quadro. A pouco e pouco, o professor poderá ir organizando um ficheiro com cartões, que poderá catalogar alfabeticamente, aproveitando os dois centímetros inferiores, invisíveis durante a utilização no quadro. Convirá que todos os cartões apresentem apro­ximadamente as mesmas dimensões, as quais deverão ser previa­mente escolhidas pelo professor, tendo em conta as condições em que vão ser utilizados nas aulas - número de alunos na sala de aula e distância a que estes ficam do quadro -, pois importa que todos os presentes vejam facilmente o que se apresenta. Para isso se aconselha também a utilização de canetas de feltro de ponta grossa e letras, desenhos ou gráficos de fácil leitura à distância.



O quadro de pregas é um óptimo meio de ensino, mesmo numa época de alta tecnologia educativa. Por exemplo, em aulas de línguas vivas, o professor pode ir criando o material à medida das necessidades, inclusive com a própria colaboração dos alunos, organizando a pouco e pouco um ficheiro de vocabulário novo, ordenado alfabeticamente, podendo ter os desenhos correspondentes se se trata de uma língua estrangeira, permitindo-lhe posterior­mente escrever frases, combinando os cartões com as diferentes classes de palavras, e servindo também, por exemplo, para o estudo das estruturas gramaticais.



Suponhamos, por exemplo, que, numa aula de Francês, é necessário estudar as estruturas negativas. O professor poderá ter os cartões com as palavras indispensáveis para a construção de frases declarativas, explicando, em seguida, como, mediante a junção das partículas de negação, se podem passar as frases para a forma negativa. E no próprio momento da aula, tendo cartões em branco e marcadores pretos ou de cores, poderá escrever palavras e utilizá-las, formando com elas as frases. E, com o material existente, os alunos poderão igualmente ser solicitados a virem ordenar correctamente as frases, efectuando os necessários exercícios de transformação. Este é apenas um exemplo das muitas utilizações que poderão ser dadas.







A nível do ensino básico, o quadro de pregas pode também dar uma valiosa ajuda, podendo servir para a aprendizagem da leitura, para o estudo da aritmética, da tabuada, etc. De certeza absoluta que qualquer professor, em qualquer nível de ensino, encontrará facilmente utilizações vantajosas a dar a este tipo de quadro, descobrindo-lhe rapidamente as potencialidades como meio audiovisual de ensino.



In: Henrique J. C. de Oliveira, Meios audiovisuais e tecnológicos aplicados ao ensino, Aveiro, 1992, pp. 30-33. (edição limitada do autor).

2 comentários:

Profª " tia " Pri disse...

Amei seu blog que também é uma a idéia de expandir e multiplicar amizades...

Obrigada pela generosidade em compartilhar!

Beijos e já estou te seguindo !
:)Pri

Marcia Pergameni disse...

Oi Vania!!! Eu fiz um desses no normal!! mas hj ninguem mais conhece mesmo!! bjus